ban or ban sc ban br

Saúde

O Termo de Colaboração, é no valor dede R$ 5.000 mensais, somando 60.000 ao longo do ano. Esta parceria acontece desde dezembro de 2017

A Administração Municipal de Orleans, renovou o termo de colaboração com a Rede Feminina de Combate ao Câncer no dia 20/12. A cerimônia aconteceu na sede da RFCC com a presença das voluntárias que apresentaram ao prefeito e ao Chefe de Gabinete, Gabriel Bianco, os trabalhos prestados a comunidade orleanense. O Repasse é de R$ 5.000 ao mês.

A presidente da entidade, Maria Aparecida Costa Kawano, destaca que com o recurso a rede consegue pagar uma enfermeira e uma técnica de enfermagem para atender as mulheres que procuram a rede. “Esse recurso é importante para nós pois o atendimento da RFCC atende mais de 4 mil mulheres ao ano com palestras, exames, carinho, cuidado e amor atendendo a todas de forma afetuosa. Devo agradecer a todos que colaboraram conosco, relatou, arrematando que a Rede de Orleans conta com mais de 30 voluntárias que se revezam atendendo diariamente.

Na entrega o Prefeito Jorge Koch, destacou a importância do trabalho desenvolvido pelas voluntárias. “A Rede Feminina é uma entidade muito importante, que traz benefícios para todo o município. Assim que a voluntária e entusiasta da rede, vereadora Mireli Debiasi, e as voluntárias nos solicitaram essa parceria em 2017, já entramos em contato com nossa equipe para viabilizar desde lá estamos renovando para que elas possam ajudar ainda mais a comunidade e isso é muito gratificante”.

A Rede Feminina de Combate ao Câncer de Orleans existe há mais de 20 anos, conta com 35 voluntárias que trabalham na conscientização das mulheres e também auxiliam pacientes que já receberam o diagnóstico positivo para a doença.

 

Campanha teve último Dia D neste sábado

A campanha de vacinação contra a poliomielite e o sarampo em Orleans terminou neste fim de semana com dados positivos. Segundo a Secretaria de Saúde, a Capital da Cultura chegou a 108% da cobertura. A Campanha Nacional de Vacinação iniciou no dia 06 de agosto e encerrou na sexta-feira, dia 31.

Segundo a secretária Luana Debiasi, o sucesso da vacinação foi graças ao “empenho das equipes e o comprometimento dos pais”, que fez toda a diferença no resultado. Até às 17 horas de hoje, 31/08, foram 1169 crianças vacinadas com cobertura de 108% de cobertura. Para alcançar este número a Secretaria de Saúde intensificou a vacinação na unidade central, com dois sábados com atendimento especial e realizadas visitas de busca ativa nas escolas e casas.

O prefeito Jorge Koch confirmou que o município ultrapassou a meta do público-alvo, afirmando que para a administração municipal “a saúde é prioridade e o investimento em prevenção é mais barato e melhor para a população”, disse elogiando a equipe de trabalho na saúde.

 

Os objetivos da campanha:

  • Vacinar quem nunca tomou a vacina;

  • Completar todo o esquema de vacinação de quem não tomou todas as vacinas;

  • Dar uma dose de reforço para quem já se vacinou completamente (ou seja, tomou todas as doses necessárias à proteção).

Quem deve ser vacinado?

  • Contra a poliomielite: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou. Em casos de nenhuma dose, será aplicada a Vacina Inativada Poliomielite. Em caso de uma ou mais doses, será aplicada a Vacina Oral Poliomielite, a famosa “gotinha”.

  • Contra o sarampo: crianças de 1 até 5 anos independentemente de quantas doses já tomou.

  • Não devem ser vacinadas: crianças de 1 até 5 anos que tenham sido vacinadas nos últimos 30 dias.

O município de Orleans por meio da secretaria Municipal de Saúde Orleans começa a campanha de vacinação contra o sarampo e a paralisia infantil (poliomielite) nesta segunda-feira 04 e vai até 31 de agosto. Todas as crianças de um ano e menores de cinco devem ser imunizadas. A Secretaria municipal de saúde está preparada com todas as salas de vacina da rede pública para a vacinação em todo o município. No sábado 18, tem o “Dia D” com atendimento das 8:00 às 17:00 hs.

A enfermeira Sara Pavei, coordenadora da vacinação de Orleans, explica que o objetivo da campanha contra o sarampo e a poliomielite é “captar crianças ainda não vacinadas ou que não obtiveram resposta imunológica satisfatória à vacinação”, minimizando o risco de adoecimento dessas crianças e, consequentemente, reduzindo ou eliminando os bolsões de não vacinados.

 O prefeito Dr. Jorge Koch, conclama os pais e responsáveis, dizendo que eles “têm a obrigação de atualizar as cadernetas de seus filhos”, em especial das crianças menores de cinco anos que devem ser vacinadas, conforme esquema de vacinação de rotina.

  

Sarampo

 Em Santa Catarina, o último caso de sarampo registrado foi no ano de 2013. Em 2018, até este momento, foram aplicadas 37.519 doses da vacina tríplice viral em crianças de 1 ano de idade, o que corresponde a 39,37% de cobertura vacinal. A vacina protege contra sarampo, caxumba e rubéola.

 Ainda neste ano, foram aplicadas 20.299 doses da vacina tetraviral, que protege contra sarampo, rubéola, caxumba e varicela. O montante corresponde a uma cobertura vacinal de apenas 21,3%.

 

Sobre a pólio

Santa Catarina está livre da poliomielite desde 1990. Em 2018, até o momento, foram vacinadas 34.525 das 95.309 crianças menores de 1 ano de idade que devem receber a vacina da poliomielite, correspondendo a uma cobertura de 36,22%. Por isso, ainda é necessário vacinar 60.784 crianças.

Em 1994, o Brasil recebeu, da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), a Certificação de Área Livre de Circulação do Poliovírus Selvagem. Portanto, é fundamental a manutenção das elevadas coberturas vacinais, acima de 95%.

A poliomielite ou “paralisia infantil” é uma doença infectocontagiosa viral aguda, caracterizada por um quadro de paralisia flácida, de início súbito. O déficit motor instala-se subitamente e sua evolução, frequentemente, não ultrapassa três dias. Acomete em geral os membros inferiores, de forma assimétrica, tendo como principal característica a flacidez muscular, com sensibilidade conservada e arreflexia no segmento atingido.

A transmissão ocorre por contato direto pessoa a pessoa, pela via fecal-oral (mais frequentemente), por objetos, alimentos e água contaminados com fezes de doentes ou portadores, ou pela via oral-oral, através de gotículas de secreções da orofaringe (ao falar, tossir ou espirrar). A falta de saneamento, as más condições habitacionais e a higiene pessoal precária constituem fatores que favorecem a transmissão do poliovírus.

 

Outras considerações

As vacinas ofertadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) estão disponíveis durante todo o ano, exceto a da gripe, que faz parte de uma campanha e exige um período específico de proteção, que é antes do inverno.

A caderneta de vacinação é o único documento que precisa ser apresentado na hora de receber as vacinas contra o sarampo e a pólio. Mas, reforça-se que a perda desse documento não impede que crianças e adolescentes sejam vacinados. Para resgatar as informações contidas na caderneta de vacinação que foi perdida, basta procurar a unidade de saúde onde foram administradas as vacinas anteriores e solicitar a segunda via.

Última modificação em Segunda, 06 Agosto 2018 11:55
 
A partir de abril, todos os manipuladores de alimentos de Orleans vão começar a receber a nova Carteira de Saúde, disponível na Vigilância Sanitária do município. Na Carteirinha de Saúde vão constar orientações fundamentais ao manipulador de alimentos.
 
Conforme explica a Secretaria de Saúde, a Carteira de Saúde é o instrumento de controle sanitário, que comprova exame clínico, de porte obrigatório de pessoas envolvidas com manipulação de alimentos.
Segundo a Secretária, Luana Debiasi, Manipulador de Alimentos refere-se ao contato entre a pessoas e o produto comestível em qualquer etapa da cadeia alimentar.
 
COMO OBTER A CARTEIRA DE SAÚDE?
 
Para obter ou renovar a carteira de saúde, o manipulador de alimentos deve realizar a inscrição junto à Vigilância Sanitária para receber as devidas orientações. Para emissão ou renovação da Carteira de Saúde, o manipulador de alimentos deve dirigir-se a VIGILÂNCIA SANITÁRIA, localizada em novo endereço: na Rua Olinda F. Hammershimitd, nº 34 Bairro Lomba, portando da Carteira de Identidade, CPF, Foto 3x4 recente e fazer o cadastro de manipulador de alimentos.
 
Após o cadastro o manipulador deve dirigir-se a Unidade de Saúde de seu bairro, para avaliação médica.
Maiores informações podem ser obtidas através do contato (48) 3886-0186.
Última modificação em Sexta, 06 Abril 2018 15:26